Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página
Pesquisa

Docente da UFR publica pesquisa inédita em periódico internacional

Publicado: 27/08/2020 23:07 | Última atualização: 27/08/2020 23:08
blue bird

Publicação científica internacional constitui avanço para a criação, melhoramento genético e conservação de bicudos

 

O professor Mário Luiz Santana Júnior, docente e pesquisador do curso de Zootecnia da Universidade Federal de Rondonópolis (UFR), publicou os resultados de sua pesquisa no periódico científico internacional Plos One. O artigo trata de uma espécie de pássaro pouco estudada e ameaçada de extinção, o Bicudo (Sporophila maximiliani), sendo a primeira pesquisa a abordar de maneira ampla a diversidade genética da população, sua evolução, seleção para fibra, acasalamentos, além de ressaltar a importância da criação em cativeiro e suas vulnerabilidades. A pesquisa investigou dados genealógicos e de desempenho de mais de 6.000 pássaros em competições de fibra coletados no projeto.

O Bicudo sofreu com o tráfico e com a destruição de seu habitat natural, sendo raramente encontrado na natureza. Atualmente é considerado ameaçado ou criticamente em perigo de extinção pelo governo brasileiro. Em contrapartida, existem mais de 180.000 Bicudos cativos no Brasil em razão de criadores amadores e também comerciais autorizados pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA). Esses criadores são hoje a maior esperança para projetos de reintrodução de Bicudos na natureza, pois grande parte deles são defensores da preservação da espécie tanto na sua forma livre quanto em cativeiro.

O grande interesse pela domesticação do Bicudo se dá pelas características relacionadas à qualidade do seu canto, diversidade de melodias, beleza, comportamento territorialista, facilidade de manejo e adaptação ao ambiente doméstico. Bicudos são pássaros longevos e não são raros os relatos de aves superando 20 ou 30 anos de idade. As características dos Bicudos têm estimulado há décadas torneios das modalidades denominadas canto e fibra no Brasil. Essas competições são organizadas por associações de criadores com a devida permissão das autoridades ambientais e ocorrem regularmente em diversas regiões do Brasil, reunindo até 400 exemplares.

A pesquisa científica com estes pássaros foi iniciada há 2 anos pelo professor Mário Luiz Santana Júnior, que é doutor em Zootecnia pela Universidade de São Paulo (USP). O trabalho foi desenvolvido na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e na Universidade Federal de Rondonópolis (UFR) e contou com apoio da CAMEX/CUR, PROCEV e UNISELVA, sendo desenvolvida a partir do projeto de extensão intitulado “Avaliação genética de passeriformes nativos para características de interesse econômico”.

Para conhecer mais a pesquisa do professor Mário Luiz Santana Júnior, acesse neste endereço o artigo na íntegra

Fim do conteúdo da página