Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
    EnglishPortugueseSpanish
Início do conteúdo da página
Institucional

UFR prepara criação de núcleo de estudos Afro-brasileiros e Indígenas

Publicado: 08/12/2021 10:38 | Última atualização: 08/12/2021 10:38
blue bird

A Universidade Federal de Rondonópolis (UFR) vai ganhar um Núcleo de Estudos Afro-brasileiros e Indígenas (NEABI) para promover pesquisas e debates sobre práticas visando combater as desigualdades, diferenças sociais e o racismo. O assunto foi discutido na semana passada em uma reunião entre a reitora da universidade, professora Analy Castilho Polizel de Souza, professores e representantes de várias entidades de Rondonópolis e cidades vizinhas.

O NEABI será composto por professores da UFR e outras instituições de ensino, estudantes, técnicos, movimentos sociais e representantes da sociedade civil organizada.

“O nosso objetivo é contribuir para a ampliação do diálogo e do alcance das Políticas de Ações Afirmativas no âmbito da UFR. Vamos promover debates, fóruns, congressos, pesquisas, e cursos voltados para a temática das relações étnico-raciais”, adiantou a professora doutora Priscila Xavier Scudder, uma das idealizadoras do Núcleo.

Priscila integra o departamento de História e o Programa de Pós-Graduação em Educação da UFR. Ela explica que a criação do NEABI é resultado de uma série de ações iniciadas ainda em 2019, durante o Congresso de Pesquisa em Educação e o I Colóquio Internacional – Racismo Ambiental, Ecologia, Educação e Interculturalidade, promovidos pela UFR.

 

Iniciativa de criação do núcleo surgiu em 2019, durante evento promovido na UFR – Foto: Reprodução

 

Naquele ano houve o lançamento do projeto para a criação do NEABI, mas os trabalhos foram suspensos por causa da pandemia. A retomada ocorreu no mês passado, durante as celebrações do Dia da Consciência Negra.

“Por motivo de doença e também das restrições decorrentes da pandemia o debate precisou ser suspenso durante esse período. Mas o processo está adiantado e a nossa expectativa é muito positiva”, afirmou Priscila.

Na reunião de ontem ficou acertado que o NEABI/UFR será criado com status de gerência, vinculada à reitoria.

O regimento deverá ser apresentado à pró-reitoria em fevereiro do ano que vem, no primeiro dia letivo. Após isso ele será submetido à avaliação do Conselho Superior Universitário (Consuni), para receber a resolução de criação.

 

Lideranças de vários segmentos participaram da elaboração da proposta de criação do NEABI – Foto: Reprodução

 

Além da reitora Analy Polizel e da professora Priscila Xavier Scudder, participaram da reunião de ontem o professor Éverton Dias, presidente da Comissão de Defesa da Igualdade Racial OAB/MT-Roo e do Instituto Profa. Coraci; o professor Antutérpio Dias Pereira – Membro do Movimento Negro de Rondonópolis e da Associação Araxá; a presidente do Movimento Negro Unificado (MNU) de Pedra Preta, Maria Rosa do Lago Cardoso; Adriana Liário, ativista do movimento LGBTQIA+; Dê Silva, coordenadora de Cultura da UFR, e Valdeci Silva Mendes, técnico UFR.

O cacique Bororo, Marcelo Koguiepa, não pôde participar da reunião devido a compromissos na escola da aldeia Tadarimana, mas também integra o grupo de idealizadores do NEABI.

 

Esta notícia foi produzida pelo jornalista Eduardo Ramos e publicada no website do AgoraMT. A publicação original pode ser consultada por meio deste endereço.

Fim do conteúdo da página