Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página
Institucional

Reitora cumpre agenda em Brasília em busca de apoio e incentivos para estruturação da UFR

Publicado: 08/03/2021 16:10 | Última atualização: 08/03/2021 16:10
blue bird

A reitora da Universidade Federal de Rondonópolis (UFR), professora Analy Castilho Polizel de Souza, cumpriu intensa agenda em Brasília na última semana. Junto com os reitores da novas Instituições Federais de Educação Superior, a reitora participou de diversas atividades em busca de apoio e incentivos para a estruturação da UFR.

Além da UFR, estavam presentes os representantes máximos da Universidade Federal de Jataí (UFJ), Universidade Federal do Agreste de Pernambuco (Ufape), Universidade Federal do Delta do Paranaíba (UFDPar), Universidade Federal de Catalão (UFCat) e Universidade Federal do Norte do Tocantins (UFNT).

Na quarta-feira (24), em reunião com os senadores Vanderlan Cardoso e Wellington Fagundes, os reitores conseguiram a inclusão de uma emenda parlamentar no valor de R$ 200 milhões no Projeto de Lei Orçamentária Anual para 2021. Criadas por desmembramento, as novas instituições possuem ainda o mesmo orçamento de quando eram câmpus das universidades sedes, o que cria enormes dificuldades no processo de implantação. A emenda tem por objetivo apoiar o funcionamento destas novas Instituições Federais de Educação Superior criadas em 2018 e 2019 e foi uma iniciativa que proveio dos Senadores Wellington Fagundes, Dário Berger, Vanderlan Cardoso, Jean Paul Prates, Paulo Rocha, Paulo Paim, Humberto Costa e Zequinha Marinho.

 

 

Na quinta-feira (25), em agenda no Ministério da Educação (MEC), a reitora tratou da liberação de vagas de professores e técnicos previstas para a UFR na Lei de criação da Universidade. Em dezembro de 2020, o Senado Federal já havia aprovado por unanimidadeProjeto de Lei Complementar n° 266, de 2020. A medida visa desobstruir a reposição do quadro permanente de servidores e a nomeação de cargos de direção e funções das Instituições federais de Ensino Superior. As novas instituições de Ensino Superior aguardam a liberação das vagas já criadas, inclusive a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), que gere o Hospital Universitário da região.

Em Janeiro de 2021, o ministro da Educação, Milton Ribeiro, garantiu que o MEC é favorável à efetivação de novos cargos para as Universidades Federais recém-criadas, dentre elas, a Universidade Federal de Rondonópolis (UFR). Com a aprovação do projeto de Lei Complementar nº266, a expectativa é que o Ministério da Economia libere, de forma escalonada durante o ano de 2021, os cargos e funções previstas nas leis de criação das universidades, possibilitando a designação dos cargos de Direção atualmente ocupados por encargo.

Ainda na quinta-feira, a reitora acompanhou a aprovação do Marco Regulatório das Startups. O marco estabelece incentivos aos investimentos, melhorando o ambiente de negócios no país, reduzindo a burocracia e aportando recursos para o aprimoramento da máquina pública, especialmente nas áreas de educação técnica e superior. A professora Analy explicou que a aprovação do marco regulatório é um avanço muito importante, pois estabelece algumas regras e facilidades para a Universidade Federal de Rondonópolis. “Na UFR, nós temos ensino, pesquisa, extensão e inovação. Por meio da Secretaria de inovação e empreendedorismo e do marco legal regulatório, diversas ações serão realizadas na universidade que beneficiarão o crescimento destas empresas e startups”.

 

 

Em outra agenda no Ministério da Educação, a reitora tratou do cadastro da UFR no Programa de Bolsa Permanência do MEC (PBP). O programa é uma política pública voltada à concessão de auxílio financeiro aos estudantes, sobretudo, aos estudantes quilombolas, indígenas e em situação de vulnerabilidade socioeconômica matriculados em instituições federais de ensino superior e assim contribuir para a permanência e a diplomação dos beneficiados.

A reitora também se reuniu com a Diretoria de Desenvolvimento da Rede de Instituições Federais de Educação Superior (DIFES/SESU) para tratar do desmembramento do banco de professor equivalente e quadro de referência de servidores técnicos administrativos em educação, o que possibilitará a gestão das vagas diretamente pela UFR, garantindo agilidade na reposição de cargos vagos e contratação de professores substitutos.

 

Fim do conteúdo da página