Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página
Edital

Comissão organizadora abre votação para escolha de logotipo da UFR

Publicado: 14/09/2020 15:28 | Última atualização: 14/09/2020 15:33
blue bird

A comissão organizadora do “Concurso Artes Institucionais”, regido pelo Edital nº 02/2020, torna pública a lista com as artes que concorrem pelo presente edital a se tornarem o logotipo institucional da Universidade Federal de Rondonópolis (UFR). A seleção ocorrerá em duas fases: 1) votação online e 2) avaliação e escolha do Conselho Universitário (CONSUNI) da UFR.

A partir de 14 de setembro até 30 de setembro, qualquer pessoa interessada poderá votar na sua arte preferida reservado o direito de apenas um voto por pessoa. A Comissão Organizadora do Concurso Artes Institucionais será responsável por encaminhar as três artes que receberem a maior quantidade de votos na forma de Lista Tríplice para o Conselho Universitário que escolherá a vencedora e homologará o resultado do concurso.

Abaixo segue a lista completa de artes enviadas para o “Concurso Artes Institucionais” cujas inscrições foram homologadas. Logo após o logotipo está a numeração que identifica a arte seguida do memorial descritivo enviado pelo próprio autor. Para votar na arte preferida, acesse o formulário de votação disponível neste endereço eletrônico e confirme seu voto.

 

 

1 – 

A cor vermelha foi escolhida em homenagem ao Rio Vermelho, que corta o município e que dava o antigo nome à cidade de Rondonópolis. O símbolo foi inspirado no desenho do entroncamento e da bifurcação das BR-163 e BR-364, importantes rodovias que cortam o município.

O logotipo procura mostrar o fluir e o movimento característicos dos rios e das rodovias, esse mesmo movimento, se aplica à movimentação do conhecimento e das  ideias nas universidades. Para além das formas objetivas, a marca destaca ideias conceituais como: conexões, múltiplos caminhos, conversão e segmentação de ideias  e de campos de saber.

A marca ainda faz referências as múltiplas pontes que conectam a cidade e que transpassam o principal rio da cidade.

 


2 – 

O símbolo foi construído com quatro níveis de representação que complementam-se, sendo eles: um global; um das letras componentes; um das cores específicas; um de cores pareadas.

Em seu nível global, representa um coração, símbolo do amor, que é aqui compreendido de duas formas: o amor eros, a paixão pelo aprendizado, pela intelectualidade e pela inclusão e diversidade; e o amor philia, a fraternidade, a integração das diferenças, o respeito à natureza e a sustentabilidade.

Ainda no nível global, representa conexão, integração, multidisciplinaridade.

Construído a partir de uma forma básica, o círculo, que caracteriza tanto os detalhes quanto seu formato final, apresentando-se com um aspecto suavizado e, ao mesmo tempo, carregado de movimento.

O círculo é a forma mais antiga de representação geométrica, portando os valores da unidade e da perpetuidade, que são, assim, incorporados à marca por meio da identidade proposta.

Em seu nível dos elementos componentes, é formado pela sigla na universidade, UFR.

As letras foram projetadas, em uma grade de construção, com uma diagramação específica que, ao serem espelhadas, criam a forma final do coração.

Representação da letra U, do nome da universidade, incorporando-a ao símbolo da identidade visual.

Representação da letra F, do nome da universidade, incorporando-a ao símbolo da identidade visual.

Representação da letra R, do nome da universidade, incorporando-a ao símbolo da identidade visual.

A escolha das cores e a definição da paleta deu-se a partir do brasão e da bandeira do município. As cores carregam, assim, tanto a representação da cidade e de seu contexto histórico e natural quanto novos significados, que seguem as representações culturais das cores em estudos da área.

 


3 – 

1 – Polígono Irregular Cinza: Foram usados três deles, com o mesmo tamanho, mesma cor, apenas em posições diferentes, o que evidencia a igual importância do ensino, da pesquisa e da extensão. Além disso, os três polígonos estão entrelaçados de modo a formar uma figura completa, o que remete ao conceito de indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão no contexto acadêmico.

2 – Hexágono do Meio Ambiente: No meio da figura formada pelos polígonos irregulares acima, há o espaço exato de um hexágono, no qual foram inseridos três elementos que simbolizam as características naturais da região de Rondonópolis: As folhas, que representam a fertilidade da terra e a riqueza da flora de Rondonópolis; A parte azul que representa o céu e a abundância de água em fontes e rios da região sul de Mato Grosso e o Sol, que durante todo o ano abrilhanta a região e contribui para a manutenção da vida nos biomas do Cerrado e Pantanal.

 


4 – 

A arte foi pensada de uma maneira que não remetesse a conceitos eurocêntricos dos séculos passados e que por vezes ainda são muito presentes em nosso cotidiano.

Deste modo, apresentei aspectos de nossas riquezas regionais, como a fauna, o cerrado e a cultura indígena da etnia Boe Bororo.

Para abordar a cultura afrodescendente, utilizei as cores que estão presentes na bandeira da África.

Outro ponto importante foi à construção do formato da logomarca e do brasão, o qual foi desenhado visando representar um Pariko (cocar) indígena Bororo.

Em resumo, a inspiração veio através do reconhecimento de minha ancestralidade e espiritualidade, pois nasci em meio a cultura afro e indígena, e para, além disso, me inspirei nas ararinhas que cotidianamente ao por do sol está presente em nossa instituição.

 


5 – 

No brasão, os célebres pilares gregos, comumente representante de símbolos de academias e universidades, remetem a escola de filosofia fundada por Platão, no bosque Academia, originando a primeira instituição vocacionada para o ensino do tipo.

O número de pilares (três) representam os pilares base da universidade; ensino, pesquisa e extensão.

A árvore do cerrado, inspirada na Caryocar brasiliense, ou como conhecida popularmente, “pequizeiro”, de fisionomia característica e símbolo do bioma local, representa o muito bem arborizado campus e arredores, e concretiza a identidade visual local.

Por fim, a “casa” ou “edifício”, promovendo o formato do brasão e abrigando os elementos, representa a instituição de maneira acolhedora e mantenedora da identidade cultural local, da sociedade, do ensino público e inclusivo, e do avanço da pesquisa e extensão à comunidade.

O azul e preto, cores também presentes na bandeira do Município de Rondonópolis, completam a representatividade para com a cidade que dá o nome da universidade.

 


6 – 

Obra inspirada na cultura indígena bororo. As pinturas indígenas expressam a personificação dos clãs nos indivíduos de sua aldeia.

O logotipo foi inspirado na pintura facial da tribo bororo que representa o bico do tucano. Suas cores vermelho e preto vem do urucum e do carvão respectivamente.

A marca foi inspirada no pássaro tucano que é abundante em nossa região e as cores preto, laranja e amarelo são referencial do bico dele.

A logomarca foi produzida levando em conta o movimento neoconcreto.

 


7 – 

A simbologia concebida para a Universidade Federal de Rondonópolis (UFR) possui três camadas de significados voltadas para a sua missão enquanto instituição.

Na primeira camada, as três figuras geométricas com formatos variados, dispostas proporcionalmente entre si, sugerem o tripé ensino, pesquisa e extensão, contemplando pilares do desenvolvimento sustentável, assim como remonta a identidade cultural da cidade formada pela integração de povos diversos.

Na segunda camada, os três elementos referenciam a formação de uma paisagem geológica local de diversidade e proteção ecológica, indexando as áreas de cerrado e de pantanal, revelando ainda um quarto elemento no espaço negativo como um caminho, seja de rios ou de transeuntes a nível socioambiental, ou uma raiz como a base da formação e capacitação de pessoas a nível socioeconômico.

Na terceira camada, a composição, com seu formato diagonal e voltada para cima, faz um recorte contextual da marca que expressa dinamismo e equilíbrio visual, representando o conhecimento e o saber, as relações científico-culturais e a riqueza intelectual, e a prosperidade e o potencial dos recursos humanos, ambientais e econômicos de Rondonópolis.

O resultado é uma composição moderna e singular que carrega traços culturais e identitários e que impacta pelo seu potencial de desenvolvimento.

A vida acontece em cores, pois inspira emoções e conecta pessoas. Cores carregam consigo significados, muitas vezes ocultos, que influenciam diretamente na comunicação e na mensagem de uma marca. A composição cromática da UFR faz uso de duas cores: a cor verde e a cor azul em tons claro e escuro. O matiz verde simboliza crescimento, prosperidade, integração e natureza. Consonante a ele, o matiz azul claro representa ecologia, sucesso e inovação, e o matiz azul escuro representa confiança, qualidade e poder. A combinação dessas variações cromáticas sugere uma imagem institucional forte, plural e sustentável.

 


8 – 

Os elementos que compõem a logomarca e o que representam são os seguintes:

SOL: O círculo amarelo representa o calor marcante em nossa região. Também faz referência ao calor humano e a receptividade das pessoas. Remete ainda ao todo que é a universidade e a expansão do conhecimento.

IPÊ AMARELO: Representa as belezas naturais de nossa região. Uma das poucas árvores a florir na seca, destacando-se na paisagem. É característica do centro-oeste e representa na marca a biodiversidade, remetendo ainda ao pantanal e cerrado.

ENTRONCAMENTO DE RODOVIAS: Estrategicamente posicionada no entrocamento das BR 364 e BR 163, Rondonópolis teve seu desenvolvimento tecnológico trazido por essas rodovias, tornando-se Polo Regional Sul/Sudeste de Mato Grosso. Na logomarca o entroncamento representa a inovação tecnológica como via de transformação e desenvolvimento da universidade. Juntamente com o círculo é a representação do ensino, da pesquisa e da extensão, que é o tripé da universidade.

HUMANO: Representa a comunidade interna e externa da universidade.”Representa ainda a valorização da vida humana e dos seus direitos. De braços abertos remete ao acolhimento e preservação do conhecimento, representado por um livro aberto.

CONHECIMENTO: Em azul, o livro aberto é o símbolo do conhecimento. As ondas representam a propagação do conhecimento que extrapolam os limites da universidade.

AGRO: As linhas do campo representam a agricultura e pecuária, que são atividades características na nossa região.

TECNOLOGIA: É representada por linhas de um circuito eletrônico que remetem ao desenvolvimento tecnológico. Faz alusão a uma universidade inovadora.

LOGOTIPO: A Sigla UFR é cortada pela rodovia, alinhada ao prolongamento do entroncamento que corta a marca, representando a inserção da universidade na região.

AS CORES: O amarelo remete ao sol, a cor está associada à alegria, felicidade, inteligência e energia. O azul é a cor que representa a educação, simboliza a confiança e lealdade. Cinza é uma cor para transição, neutra e imparcial e não concorre com as cores da marca.

 


9 – 

O logo foi desenvolvido buscando um conceito simples e dinâmico, porém sério e moderno. A ideia é fixar conceitos como modernidade, inovação, firmeza de valores e a tradição da instituição somadas à uma logomarca leve e marcante que funcione perfeitamente tanto à cores como em preto.

A fonte utilizada nesse trabalho foi criada manualmente e a escolha do símbolo atômico deve-se, principalmente, às suas renomadas qualidades como ciência, criação, inovação e tecnologia.

Junção da fonte criada manualmente para a sigla “UFR”, composta pela fonte Calibri para “Universidade Federal de Rondonópolis”.

A cor verde utilizada remete à vida, fertilidade, tranquilidade, natureza/ecologia e afluência.

 


10 – 

O conceito por trás das artes apresentadas foi de refletir a cidade em si, em toda a sua expansão e prosperidade no cerrado mato-grossense, com a grandiosidade do saber remediado pela UFR.

Foram utilizados os seguintes símbolos na composição das artes: o mapa da cidade para sua representação e identificação, as tochas acesas para simbolizar os primórdios do conhecimento, os ramos para a flora natural, uma faixa com a frase “per aspera ad astra” que significa “chegar à glória por caminhos difíceis” para ser relacionada ao aprendizado, e as engrenagens para remeter as bases técnicas dos cursos.

 


11 – 

Na obra podemos observar um livro aberto como base, para simbolizar os registros físicos que transitaram dos tabletes de argila até o córdice de papel.

Em seguida vemos páginas saltando do livro para representar a transição dos suportes físicos para os meios virtuais.

Já as formas quadradas são para o conceito de uma base estrutural sólida da informação registrada em plataformas digitais.

As letras trazem a abreviação do nome da Universidade, que é uma das instituições responsáveis pela luta em prol da democratização do acesso à informação. Por último temos o ano de fundação.

 


12 – 

A simbolização presente no Brasão propõe a agricultura e as águas do Rio Vermelho como pilares fundamentais na criação e desenvolvimento do município de Rondonópolis.

Na base do pilar ilustrado no brasão estão representados a agricultura e o Rio Vermelho respectivamente em verde e vermelho.

O topo do pilar que sustenta a sigla “UFR” que representa a universidade está uma frase em latim “Scientia Mens Liberat” que significa “A Ciência liberta a mente”. Todo esse pilar baseado nas riquezas regionais da cidade juntamente com a ciência instruindo as mentes sustentam a Universidade Federal de Rondonópolis.

Algo também representado na arte são as estações do ano da região. A estação de seca severa característica de Rondonópolis, é simbolizada com a a chama no topo e os tons de amarelo opacos, cores estas que predominam na paisagem no inverno seco da região. A grande parte em azul na arte, representa a abundancia hídrica na estação chuvosa.

Fim do conteúdo da página